SEI TÃO POUCO ACERCA DE QUEM CÁ PASSA... DEIXEM-ME LÁ UMA DICA ;)

As Receitas da Tia Gio

Comer bem é um dos prazeres que eu não dispenso por nada deste mundo... Vou tentar ensinar-vos o pouco que sei e conto aprender imenso com vocês...

06 julho 2006

15 formas de contornar os problemas sem passar pelo frigorífico



Vi este artigo numa revista, e mesmo achando que não é novidade para ninguém o que aqui diz, decidi transcrevê-lo...

Em vez de fechar o frigorífico a cadeado e esconder a chave num local secreto ou desesperar porque se abusou, comece por mudar aquilo que lhe vai na cabeça...

1 - Coma mesmo sem sentir fome, de preferência a horas certas. O ideal é comer antes da fome chegar, de forma a conseguir seleccionar o que vai ingerir. Quando temos fome, perdemos a capacidade de optar pelo melhor e preferimos o mais apetecível. Por outro lado, existe a tendência para comer mais e fazê-lo com mais voracidade.

2 - Encha o frigorífico ou a despensa com alimentos saudáveis: iogurtes de baixo valor calórico, cereais, fruta, legumes e vegetais. Assim, mesmo que caia na tentação, o que lá encontra são alimentos equilibrados.

3 - Se sente que está a iniciar um processo de descontrole alimentar (compulsão), tente ingerir alimentos que encham. Isto é, hidratos de carbono de absorção lenta, que promovem saciedade durante mais tempo, tais como cereais ou pão, de preferência integrais. Mesmo numa dieta de emagrecimento, o pão não deve ser excluido, porque nos tira a fome e acaba por ter pouco valor calórico. Um pão tem apenas 120 kcal, enquanto um croissant pode ir até às 400 kcal. Mais vale uma fatia de pão do que passar a tarde a mordiscar bolachas de água e sal (quatro balachas equivalem a um pão).

4 - Coma devagar, saboreando bem cada um dos alimentos. Desta forma, come menos e sente-se mais saciada.

5 - Beba bastantes liquidos ao longo do dia, dando preferência à agua. Devemos beber 1,5 lt a 2 lt de água diariamente, isto, claro, dependendo das necessidades profissionais (existem profissões que exigem um maior esforço, logo há mais necessidade de reposição de água), da prática ou não se exercicio fisico e do clima. Evite o consumo de refrigerantes porque têm bastantes calorias "escondidas" através do consumo de açúcares rápidos, isto é, não saciam e engordam. Em vez de beber um suno de fruta, mais vale comer uma peça inteira - que sacia porque tem mais fibras.

6 - Faça refeições equilibradas, com sopa e prato principais. A sensação de "comer de faca e garfo" tem um efeito psicológico fundamental, reduzindo os ataques de apetite. Ao comer apenas qualquer coisa (dois salgados e uma salada de fruta por exemplo) a pessoa não tem a sensação que comeu. Primeiro porque o faz de uma forma muito rápida e, segundo porque o estômago não tem tempo de enviar ao cerébro a mensagem de que está satisfeito. Menos volume não significa menos calorias: o facto de comer um salgado (200/300 kcal ou um folhado que pode chegar às 400 kcal) não implica que esteja a ingerir menos calorias. Mais vale fazer uma refeição completa e equilibrada, que fornece os nutrientes essenciais, promove a saciedade e nos dá a noção de que comemos.

7 - Saiba quais as causas da sua ansiedade e se for preciso informe-se junto de um especialista acerca de como contornar a situação. São muitas as pessoas que encontram na comida uma forma de colmatar diversas carências emocionais. Se tem a noção de que quando está mais nervosa ou ansiosa abre o frigorifico mais vezes do que seria normal, então o melhor é cortar o mal pela raiz e ir à origem do problema.

8 - Não vá às compras com fome, pois a tendência é para comprar mais "porcarias" e deixar de lado aquilo que realmente interessa. Se for preciso coma qualquer coisa antes e depois então ponha o pé no supermercado. Faça uma lista prévia. Se comprar com consciência é natural que adquira alimentos mais saudáveis e recomendáveis.

9 - Mime-se, fazendo um disparate programado de vez em quando, que não desiquilibra a dieta e tem um efeito reconfortante. Assim não fica com a sensação de que estragou tudo e de que não vale a pena continuar. Planear o disparate de antemão também possibilita controlar o que vai comer.

10 - Aprenda a minimizar os problemas e pondere se vale mesmo a pena perder a cabeça e comer algo hipercalórico, só porque teve um furo no carro, ou rasgou as suas calças preferidas, ou a Selecção perdeu o Mundial (esta fui eu que pus, ehehehe). Quer mesmo perder a cabeça? Se aprender a gerir as suas emoções, tudo passa a ser mais fácil, e o que outrora era um bicho de sete cabeças, passa a ser apenas um acontecimento menos agradável.

11 - Coma proporcionalmente ao gasto calórico diário. Temos tendência para comer muito mais do que precisamos. Se comermos demais e não gastarmos essa energia, o que é que acontece? Acumulamos gordura. Desta forma, os alimentos hipercalóricos associados a uma vida sedentária formal o cocktail ideal para "a engorda".

12 - Não fique muitas horas sem comer, faça-o de três em três horas. Uma peça de fruta, um iogurte ou uma fatia de pão são o suficiente. Assim, evita os verdadeiros ataques de fome.

13 - Não coma enquanto vê televisão. Cada coisa a seu tempo. Imagine-se com o seu chocolate favorito enquanto vê a sua série preferida. O mais provável é que o devore sem sequer dar por isso. Comer ao mesmo tempo que se assimilam ideias é o ideal para perder o controle do que está a fazer.

14 - Beba água sempre que lhe apetecer pestiscar. Muitas vezes a sede confunde-se com a fome e a água ajuda a enganar a sensação de fome ou a vontade de comer.

15 - Rodeie-se de pessoas optimistas, sinceras, verdadeiras, com bom carácter, com sentido de humor, justas, simpáticas... e afasta-se daquelas que directa ou indirectamente prejudicam o seu bem estar.