SEI TÃO POUCO ACERCA DE QUEM CÁ PASSA... DEIXEM-ME LÁ UMA DICA ;)

As Receitas da Tia Gio

Comer bem é um dos prazeres que eu não dispenso por nada deste mundo... Vou tentar ensinar-vos o pouco que sei e conto aprender imenso com vocês...

08 março 2007

Alimentos afrodisiacos



Muitos alimentos são conhecidos pelas suas propriedades “afrodisíacas”. O termo deriva de Afrodite, deusa do amor, e faz referência a tudo aquilo capaz de estimular as capacidades sexuais dos seres humanos.

De uma maneira geral, podem-se considerar afrodisíacos os produtos alimentares mais ricos do ponto de vista nutritivo. Isto porque um bom estado de saúde é facilitador da circulação sanguínea, essencial para a actividade sexual em si. No entanto, ao longo dos séculos, a espécie humana tem vindo a seleccionar alguns alimentos como possuidores de virtudes específicas.

Os gregos aconselhavam o mel, os ovos, as cebola e as cenouras, as trufas, os crustáceos e os peixes em geral, com destaque para o esturjão. Os romanos juntaram à lista os órgãos genitais de certos animais, como o burro, o lobo e o veado, as ostras e a rúcola. A rúcula, erva que crescia de forma espontânea em volta das estátuas fálicas da Antiga Grécia, era já referida por Plínio como “afrodisíaca”.

Outros vegetais, como as favas e o cacau, bem como determinados frutos, como a banana e as uvas, são propícios ao desenvolvimento da sensualidade.

Mas são as ostras que ocupam um lugar de destaque na lista de alimentos afrodisíacos. Já o grego Estrabão louvava as ostras de Marselha e o romano Ausónio mencionava, em monografia, as ostras gaulesas. Séculos depois, Alexandre Dumas chamava-lhes "Orelhas de Vénus". Consta que o gastrónomo Vatel, cozinheiro do rei Luís XVI, cometeu suicídio por causa das ostras. Já Casanova consumia em jejum uma média de 40 gramas de ostras por dia.

As propriedades afrodisíacas que se atribuem às ostras devem-se ao seu alto teor de zinco, mineral que é necessário para a produção de esperma. A carência de zinco provoca infertilidade e impotência, mas o seu excesso pode provocar intoxicações. Por exemplo, seis ostras cruas ou cozidas em vapor fornecem mais de cinco vezes a dose diária recomendada de zinco.

No “Top +” dos alimentos afrodisíacos, além dos já citados crustáceos, rúcola, banana, ovos e ostras, também entram a rã, o queijo parmesão, as favas, a alface, o pepino e o pimento. O álcool, pelo seu efeito desinibidor, e o café, pelo estímulo físico e mental que produz, podem ser favoráveis a um ambiente digno de qualquer romance. Sempre, bem entendido, em doses moderadas, para não provocar o efeito contrário.

2 comentários:

Blue Eye disse...

Logo de manha e fikei com agua na boca.
Andei a ver algumas receitas k vou tentar fazer, parecem diliciosas :)
Beijos

Mónica disse...

rã??

epá... não acho isso nada afrodisiaco

ihihihihihihih...